preloader

Guia completo para vender no Google Shopping

O objetivo é o mesmo para qualquer eCommerce: vender mais. Além de um site e redes sociais, é possível adquirir outras ferramentas para vender produtos como o Google Shopping. Bem utilizado, aumenta não só o número de vendas realizadas, mas também o seu faturamento. 

Então, como você vende no Google Shopping? Aqui está um guia completo detalhando como fazer isso.

Seis etapas para vender no Google Shopping:

  • Crie uma conta no Google Merchant Center.
  • Importe seu catálogo de produtos.
  • Vincule sua conta do Merchant Center à conta do Google Ads.
  • Crie uma campanha de Adwords.
  • Defina seu orçamento.
  • Analise seus anúncios.

Google Shopping, o que é?

Lançado nos EUA em 2010, o Google Shopping visa oferecer mais visibilidade aos produtos vendidos por lojas virtuais.

Semelhante a um comparador de preço, essa ferramenta pode ser encontrada no Google em uma guia específica chamada “Shopping”, onde os resultados da pesquisa aparecem com:

  • Uma foto.
  • O nome do produto e sua descrição.
  • Seu preço.
  • Nome do vendedor.
  • Opiniões de usuários.

É então possível filtrar os resultados obtidos de acordo com o produto desejado. Ao clicar em um anúncio, o internauta é redirecionado diretamente para a loja online do vendedor.

Vendendo no Google Shopping, quais são as vantagens?

Pago desde 2012, o Google Shopping oferece várias vantagens para lojas virtuais, incluindo:

  • Melhor visibilidade de seus produtos.
  • Aumento do tráfego para seu site de comércio eletrônico.
  • Aumento de seu faturamento.

Os anúncios no Google Shopping são extremamente precisas. É esse nível de precisão que permite ao vendedor obter um tráfego muito mais qualificado do que a média e, portanto, mais chances de realizar uma venda.

É bom saber: um eCommerce também pode usar os anúncios do Google Ads para vender seus produtos. Porém, o display oferecido pelo Google Shopping é mais adequado para a venda de produtos físicos.

Se o registro para o serviço e a publicação de anúncios forem gratuitos, você deve concordar em pagar para se beneficiar desse tráfego qualificado. Na verdade, o Google Shopping usa:

  • Um sistema de leilão: o anúncio que aparece nos primeiros resultados da pesquisa é o do eCommerce que fez o lance mais alto.
  • O modelo CPC (custo por clique): o eCommerce é cobrado pelo Google Shopping cada vez que um usuário clica em seu anúncio. No entanto, um orçamento diário máximo pode ser definido.

6 etapas para vender no Google Shopping

1 – Crie uma conta no Google Merchant Center

Para usar o Google Shopping, você deve ter uma conta do Google e, a seguir, registrar-se no site do Google Merchant Center.

Várias informações devem ser inseridas, como:

  • O local da atividade profissional.
  • O nome da loja.
  • O URL do site de comércio eletrônico.
  • Um endereço de e-mail de contato.

O vendedor deve então provar que ele é realmente o dono do site indicado, usando um dos métodos oferecidos pelo Google. Por exemplo, isso envolverá adicionar a meta tag proposta ao código-fonte HTML da página inicial de seu site de e-commerce.

2 – Importe seu catálogo de produtos

Assim que a conta for configurada, você deve importar todos os produtos a serem exibidos no Google Shopping, criando um feed de produtos. Para fazer isso, clique em “Produtos” no painel do Google Merchant Center e, a seguir, em “Criar um feed de produto”.

Este feed de produto tem a forma de uma tabela que pode ser criada no Planilhas Google, por exemplo (esta opção é oferecida na próxima etapa). Cada linha da tabela deve corresponder a um produto e cada coluna a um atributo (preço, tamanho, cor).

Embora alguns atributos sejam opcionais, outros devem ser preenchidos, a saber:

  • O identificador: na medida em que deve ser específico para cada produto, geralmente é utilizado o código do produto.
  • Designação do produto: este é o título que aparecerá no Google Shopping.
  • Descrição: até 5.000 caracteres, deve incluir palavras-chave e ser otimizado para SEO.
  • URL: é a página para onde o usuário será direcionado se clicar no anúncio publicado no Google Shopping.
  • Uma imagem: deve ser de boa qualidade.
  • O estado do produto: é novo ou Usado ? 
  • Disponibilidade do produto: está em estoque, em pré-venda ou não disponível?
  • O preço do produto.
  • Marca do produto: deve ser indicada se o eCommerce é revendedor.
  • O código de barras do produto.
  • A identidade do fabricante.
  • A categoria do produto: apenas uma deve ser indicada por produto e deve ser escolhida na lista de categorias oferecida pelo Google.
  • O tipo de entrega oferecida e o valor dos custos de envio.

É bom saber: assim que o feed de produtos for criado, você deve se lembrar de atualizá-lo pelo menos uma vez por mês.

3 – Vincule sua conta do Merchant Center à conta do Google Ads

Essa terceira etapa é essencial, pois permite a transferência do feed de produtos diretamente para a conta do Google Ads para criar uma campanha do Google Shopping com facilidade.

Para vincular essas duas contas, basta clicar em “Vincular contas” no Google Merchant Center e, em seguida, clicar no botão “Vincular” na frente da conta do Google Ads.

4 – Crie uma campanha do Google Ads

Antes de vender um produto no Google Shopping, uma campanha publicitária deve ser iniciada por meio do Google Ads para entregar o produto certo à pessoa certa no momento certo.

Para fazer isso, você precisa criar uma campanha na interface do Google Ads e escolher um objetivo (vendas, clientes potenciais ou tráfego). Você deve então selecionar o tipo de campanha “Shopping” e, em seguida, a conta do Google Merchant Center associada.

5 – Defina seu orçamento

Para finalizar um anúncio no Google Ads, um orçamento diário e um CPC máximo devem ser definidos.

Quanto mais alto for o custo por clique, mais anúncios SEO estarão no Google Shopping. Tenha cuidado, porém, para não definir um CPC muito alto: as despesas podem ser maiores do que os ganhos. Por outro lado, um CPC muito baixo tornaria os anúncios criados invisíveis na plataforma.

Determinar um orçamento diário é importante porque, uma vez que esse valor seja excedido, o anúncio deixa de existir no Google Shopping naquele dia. Por isso, é impossível atender a custos imprevistos com esta ferramenta.

É bom saber: o CPC e o orçamento diário máximo podem ser alterados a qualquer momento durante uma campanha.

6 – Analise seus anúncios

Depois que os anúncios forem publicados, é importante verificá-los regularmente para verificar se o texto está otimizado corretamente e se os lances são bons.

Uma campanha deve ser analisada diariamente para ser ajustada o mais rápido possível em caso de algum problema.

Consulte o nosso serviço exclusivo para Google Shopping.

Author avatar
Julio Neves
- Divide et impera.

Post a comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *